Arquivo do autor:beijodepracinha

Sobre beijodepracinha

Romance, comédia, aventura, drama, cultura, filosofia de botequim, religiao, nostalgia… Os relatos de uma noiva em Berlim com saudades do seu noivo no Brasil, que faz contagem regressiva para o seu próximo encontro com o seu amado, e que, eventualmente, ainda tem crises de TPM, sao uma caixinha de surpresas…

Etiqueta de convidados

Lá foi o meu amado deixar nossos preciosos noivinhos no escritório da mocinha que fará nosso bolo, quando recebemos a explícita recomendação: “Avisem ao cerimonial para deixar alguém vigiando os noivinhos. Já colecionamos histórias de noivinhos roubados.”

Lembrei de gente reclamando de convidados levando arranjo da decoração. Será reflexo da cultura da malandragem? Acontece em todos os estados ou só aqui no Rio?  

Vou me abster de exercer comentários e deixá-los por conta das leitoras. E este post vale como um (triste) alerta.

Beijos, Jane (a duas semanas do casamento!)

Noivinhos: Promise, da Willow Tree.

19 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Cana e Cameron Ingalls no Brasil

Meninas sim sim sim , eles vão estar  no Brasil para um workshop em junho …Não é o maxímo?????Pois bem se vc ficou interessada deixa um comentário aqui no blog que a gente vai enviar um e-mail pra vcs com maiores detalhes!!!!Iupi!!!!O Casarei vai estar por lá…..Vamos?

3 Comentários

Arquivado em Good Idea

As regras que eu não sigo

Dizem que, nos convites, você coloca o nome e sobrenome do homem e “Família”. Tipo: Sr. Tom Cruise e Família.

Não segui! Minha irmã é minha irmã e coloquei o nome dela + “Família”, e não o do marido. Minha referência na família dela é ela. O mesmo fiz com amigas cujos acompanhantes não conheco. Nome delas na frente, nos casos em que estão com namorado que eu nem conheco ainda!

Também dispensei as formalidades nos convites de pessoas íntimas. Chamo minha amiga de Claudinha a vida inteira, não dava pra colocar “Claudia” no convite. Muito menos “Sra. Claudia”. Em geral, segui o bom senso. Escrevi nos convites a forma como chamo meus convidados no cotidiano. Sem muita regra.

A verdade é que regras existem como forma de orientacão para casos de dúvidas, e isso é bom. Mas elas não são uma lei absoluta irrevogável!

Devo cumprimentar todas as pessoas da festa? Bem, se eu “tenho que” eu não sei, mas vou querer, né? Questão de bom senso. Afinal, se eu convidei, não faz sentido elas irem embora sem nos falarmos. Pior, não faz sentido elas irem embora sem me cumprimentarem! Tem etiqueta para noivos, mas também tem para convidados, não podemos esquecer!

Ai, é tanta regrinha! E até onde não tem regrinha, parece que as pessoas procuram regrinha! Até inventam onde não tem, fazem questão de padronizar quando poderiam personalizar. E perdem a chance de desenvolver uma coisinha que todo mundo deveria desenvolver, não só nos preparativos do casamento, mas também na vida: o bom senso.

Com bom senso fica fácil tomar decisões. Na dúvida, basta se colocar na posicão de convidado. Você provavelmente já esteve em mais de um casamento na vida. O que agradou? O que não agradou? O que foi indiferente? Em quantas coisinhas você está pensando agora nas quais você nem repararia se fosse convidada? Partindo do princípio de que somos mocinhas finas e educadas, dificilmente você vai errar.

E vocês? Que regrinhas dessas pré-estabelecidas vocês não seguiram e não pretendem seguir?

Bjs, Jane

ps. meu dia está chegando!

14 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Gosto muito

Gosto muito de coisinhas submersas, em redomas. E adoro tulipas! lembram-me início de primavera européia!

Foto: Fabrícia Soares

8 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Dos desabafos

Quem já escreveu desabafo contra fornecedor? Eu uma vez mandei e-mail mal-criado pra cerimonialista que não respondeu meu e-mail. Eu no vácuo em plena TPM! Sinal de perigo! Ao menos fiquei só no email, diretamente com ela. Jamais no blog.

Já pensou se os fornecedores escrevessem blogs sobre suas experiências ruins com noivas da mesma forma como reclamamos deles por aí?

Escrevo isso porque, por mais que eu seja a favor da democracia na internet e da liberdade de expressão, acho importante que haja cuidado na hora de escrever um desabafo. A fotógrafa Fabrícia Soares uma vez escreveu um excelente texto sobre o assunto (leia aqui) que resume super bem outro lado da moeda. O lado de quem vive de prestar serviços.

Noivas estão stressadas? Sim. Noivas estão mais sensíveis? Sim. Noivas são sempre as donas da razão? Nem sempre.

Nem sempre um atendimento formal é um atendimento grosseiro. São duas coisas diferentes.

Nem sempre o seu atraso pode ser contornado. E não, o fornecedor não tem a obrigação de esperar por você.

Nem todo fornecedor é mesquinho, salafrário, sem-vergonha, estrela, interessado apenas em espatifar o seu porquinho. Muitos estão fazendo o seu trabalho com honestidade, dignidade e qualidade.

Fornecedor também tem dor de cabeça, crise de stress, também briga com a esposa que dormiu de calça jeans, e tem unha encravada. Muitos também pegam trânsito no caminho para o trabalho. E de ônibus! Dois ônibus! Se for mulher, também tem filho pra criar, bebê com febre em casa e crise de TPM. Mas às vezes eles simplemente acordam em um dia ruim. Como todos nós. Os fornecedores são tão humanos quanto as noivas.

Portanto, lindonas… Antes de escrever um desabafo, cogitem o que pode estar acontecendo do outro lado.

E lembrem-se de que vocês estão em um momento que, com todo o stress, é um momento bom, gostoso, de amor, de alegria. Caramba, nós CASAREMOS! Vale mesmo a pena criar caso com lacinho do bem-casado, atendente de mau-humor (como se noiva nunca tivesse mau-humor!) ou o tom de vermelho das rosas?

Para pensar, né?

Love,

Jane

7 Comentários

Arquivado em Uncategorized

E as lágrimas?

Da série “Momentos marcantes do casamento”.

O post Casmento x Medo deu o que falar, e agora decidimos perguntar: depois de falar dos nossos medos, o que mais fez ou fará você chorar de emocão? Qual foi o será o seu momento lencinho, como diz a Jess?O meu será na hora que eu entrar, prevejo eu! Eu ali, descendo a escada (da qual eu tenho medo de cair!) e vendo meu amado lá na frente com sorriso travado e um filminho passando na minha cabeca… Não vou me segurar!

Só vale dizer um! :-)

Beijos!

14 Comentários

Arquivado em Uncategorized

Estamos prontas?

 

Hoje eu vi esta notícia que me fez pensar…

Depois de convites com cristais Swarovski, o “conto de fadas”, como foi chamado o casamento dos pombinhos da foto, veio a parte triste: separacão.

O post do casamento da Stefanny e do Pato foi um dos mais comentados aqui no Casarei e em tantos outros lugares. Pela festa, pela polêmica do investimento astronômico feito pelos dois e por todo alarde feito na mídia também.

Mas hoje eu fiquei pensando… Por que alguns investem tanto na festa e não investem na mesma proporcão no que acontece depois da festa?

Estamos preparadas para o que vem depois do grande dia? Será que esse mundo da indústria do casamento, tão cheia de encantos, não confunde as coisas e troca as prioridades de lugar?

Em inglês (e em alemão também) temos duas palavras diferentes: o wedding (a festa do casamento) e o marriage (a união, a família, o que vem depois do wedding). Eu confesso que sinto falta de ter duas palavras distintas no Português para as duas coisas também.

Afinal… estamos muito preparadas para o wedding, mas estamos preparadas para o marriage? Estamos preparadas para o dia em que o conto de fadas se torna realidade?

Bjs, Jane

15 Comentários

Arquivado em Uncategorized