Arquivo do dia: abril 4, 2010

Jogar o bouquet

Dizem que a solteira que pegar o bouquet será a próxima a casar. Dizem, do verbo, é furada. Peguei dois, vi uma galera casar depois disso (e pegar bouquets) e decidi não tentar mais pegar. Hoje, – vejam só que coisa! – depois de muitos bouquets perdidos, estou noiva.

Bem, eu sei que a maioria vai mais pela brincadeira. Mas… não é meio machista isso não? Um bando de mulheres desesperadas dando gritinhos se atracando por um bouquet? Sim, algumas literalmente se atracam! E os homens? Riem e se divertem! Não deveria o noivo jogar algo para eles também para que a noiva os veja se atracando?

Já teve sim quem jogasse caixa de charuto ou pseudo-caixa de whisky para eles. Mas parece que a brincadeira não pega. Ou pega?

Por mais que seja brincadeira (sim, eu provavelmente jogarei o meu… ou não… quem sabe?), eu confesso: acho meio machista. E constrangedor também. Especialmente quando começam a chamar solteiras pelo nome. Pelamor, gente, não! Chamar pelo nome é maldade! Nunca se sabe se a mocinha lida bem com a fase de solteirice ou não.

Mas sei lá… parece que algumas solteiras gostam da brincadeira. E para elas, às vezes ainda tem sapo, oração do desencalhe e medalhinha de Santo Antônio. E eu que já não gosto da palavra encalhada… Leitoras solteiras, vocês não estão encalhadas! No máximo ancoradas! Quando quiserem, é só içar a âncorar e sair a navegar! Ok?

Então eu pergunto: até que ponto queremos manter tradições? Dá para substituir ou adaptar algumas? Quais? Como? Dá para homenagear solteiras E SOLTEIROS de outra forma?

Ou será que estou sendo radical?

Beijos!

__

ps. esta é uma opinião pessoal sobre um tema genérico sem intuito de atingir ninguém em particular. Cada uma é livre para fazer o que quiser no próprio casamento e ser feliz! E a foto é da Fabrícia Soares.

8 Comentários

Arquivado em Uncategorized